Fiscal do Enem 2018: Como trabalhar na aplicação das Provas

Atualizado em: 20.12.2017

by Enem 2017 on 20/12/2017

Fiscal do Enem 2018: No fim deste ano, provavelmente no último final de semana do mês de outubro, serão aplicadas em todo o Brasil as provas do Enem 2018 – Exame Nacional do Ensino Médio. As inscrições dos estudantes devem acontecer em meados de maio. Por sua vez, quem deseja trabalhar como fiscal do Enem precisa ficar atento, acompanhando as atualizações do Exame, visto que o prazo para inscrição daqueles que desejam trabalhar geralmente se concentra no mês anterior às provas.

O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado pelo Governo Federal no ano de 1998. Gerenciado pelo MEC (Ministério da Educação) e organizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o Enem servia apenas como um instrumento que avaliava o nível de conhecimento ao fim da educação básica. Entretanto, a partir de 2009, o Exame começou a ser realizado em novo formato e, desde então, além de servir como instrumento avaliativo, é exigido em programas do MEC que garantem a permanência e o acesso ao ensino superior no país: Sisu, ProUni, Fies, Sisutec, Ciência sem Fronteira.

Quais as funções do fiscal do Enem 2018?

Fiscal do Enem 2018Com tamanha proporção alcançada pelo Exame nos últimos anos, torna-se cada vez mais necessária a seleção de pessoas que auxiliem na aplicação das provas. São diversos os cargos de fiscais do Enem 2018: chefes de sala, ledores, intérpretes de libras, aplicadores de prova (auxiliam os chefes de sala), volantes (fiscais de corredor), fiscais de banheiro e apoio (porteiros, auxiliares de limpeza, seguranças, etc.).

Os chefes de sala são os maiores responsáveis pela organização geral do local de prova do Enem 2018, fiscalizando o ambiente como um todo. Ledores, intérpretes de libras e aplicadores são aqueles que trabalham exclusivamente dentro de sala de aula. Fiscais de banheiro e pessoal de apoio são responsáveis pela organização dos ambientes externos às salas.

Quanto ganha um fiscal do Enem 2018?

A remuneração de fiscal do Enem 2018 varia de acordo com a função desenvolvida nos dias de prova. No ano de 2015, por exemplo, os chefes de sala receberam R$ 227,86 pelo serviço prestado. O valor bruto para o cargo foi de R$ 261,91, mas foram descontados 13% relativos a encargos sociais.

Os valores, na edição anterior, foram menores para as outras funções. Os aplicadores e fiscais, por exemplo, receberam cerca de R$ 150,00 pelo trabalho prestado nos dois dias. Já o pessoal de apoio recebeu aproximadamente R$ 120,00. A expectativa é de que os valores sejam mantidos, ou fiquem ao menos próximos na edição deste ano.

Como fazer inscrição para fiscal do Enem 2018?

Geralmente, o Inep designa ao CESPE/UnB e à Fundação CESGRANRIO a função de gerenciar o processo seletivo dos colaboradores do Enem 2018. As duas empresas também prestam apoio ao Instituto na realização do Exame Nacional do Ensino Médio. Assim, quem tiver interesse em trabalhar nos dias das provas do Enem 2018 precisa ficar atento às atualizações dos sites de ambas.

O prazo para cadastro de fiscal do Enem 2018 ainda não foi divulgado pelo Inep. O Instituto também costuma publicar informações sobre o assunto no portal do MEC, acessível no endereço eletrônico http://portal.mec.gov.br/. Os interessados precisam ficar sempre ligados ao surgimento de informações, visto que as vagas são preenchidas rapidamente devido à recompensa financeira oferecida pela organização, e o assunto não é amplamente divulgado.

Nos últimos anos, as universidades federais que receberam o Exame foram as responsáveis por receber as inscrições e divulgar a lista dos candidatos selecionados para trabalhar nos dois dias de provas. Por isso, na maioria das vezes, os próprios trabalhadores da área de educação e os estudantes universitários conseguem as vagas com maior facilidade.

Pagamento dos Fiscais do Enem 2018

O pagamento dos fiscais do Enem 2018 acontecerá de duas maneiras diferentes: via depósito em conta corrente ou por meio de ordem de pagamento, ambas as ações realizadas pelo Banco do Brasil. A organização do Exame costuma liquidar o valor, de forma integral, no mês subsequente às provas.

A expectativa é de que o número de trabalhadores envolvidos na aplicação do teste em 2018 fique em torno de 800 mil pessoas. Algumas funções necessitam de treinamento prévio, realizados via internet e de forma presencial. Todas as informações a respeito são acessíveis no momento de inscrição.

Para ficar por dentro de todas as informações e acompanhar as novidades do Exame Nacional do Ensino Médio, continue visitando nosso site e curta a página do Enem 2018 no facebook.

Fiscal do Enem 2018: Como trabalhar na aplicação das Provas
4.8 (96.61%) 59 votos